NHANDEREKO

Graças ao nhandereko, como é chamado o modo de vida guarani, já existe um cinturão verde em São Paulo. Nossas comunidades, mesmo marginalizadas e atacadas, tiram as lições de preservação e cuidado com a terra e a mata de seus próprios saberes tradicionais, passados de geração em geração. Nas nossas TIs são utilizadas tecnologias comunitárias, como a cooperação com as abelhas nativas, por meio de meliponários, e outras soluções de problemas de comuns. Já são 28 colmeias com sete espécies diferentes de abelhas nativas indígenas, sem ferrão, cultivadas em nossas aldeias. As ações envolvem ainda a recuperação de áreas degradadas com mudas da Mata Atlântica, planos de visitação, alternativas de saneamento básico e proteção de nascentes, entre outras soluções ecossistêmicas.

COMISSÃO GUARANI YVYRUPA

A Comissão Guarani Yvyrupa (CGY) é uma organização indígena criada em 2006 que congrega coletivos do povo guarani das regiões Sul e Sudeste do Brasil na luta pelo reconhecimento de seus territórios tradicionais. Desde então, a organização vem se apoiando nos modos próprios de organização guarani, onde se escuta os anciões e as lideranças para definição das estratégias de ação política na luta por direitos.

CENTRO DE TRABALHO INDIEGENISTA [CTI]

O Centro de Trabalho Indigenista é uma associação sem fins lucrativos, fundada em março de 1979 por antropólogos e indigenistas. É constituído por profissionais com formação e experiência qualificadas nas mais variados campos e comprometidos com o futuro dos povos indígenas.

INTERVOZES

O Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social é uma organização que trabalha pela efetivação do direito humano à comunicação no Brasil. O coletivo é formado por ativistas e profissionais com formação e atuação nas áreas de comunicação social, direito, arquitetura, artes e outras, distribuídos em 15 estados brasileiros e no Distrito Federal.

LABORATORIO TÁTICO DO COMUM

O Laboratório Tático do Comum, o LabTaco, é um projeto do Intervozes para produção colaborativa de comunicação e tecnologias abertas. O nosso objetivo é fortalecer territórios e coletivos que experimentam práticas políticas autônomas, não-proprietárias e democráticas para a vida social, como um espaço livre e aberto de conhecimento. O primeiro protótipo do LabTaCo será construído junto ao povo Guarani.